Oliver Tolle

Versão para impressão

Histórico Acadêmico

  • 2008 Doutorado em Filosofia pela Universidade de São Paulo
    Título da Tese: Luz Estética: A Ciência do Sensível de Baumgarten entre a arte e a iluminação
  • 2003 Mestrado em Filosofia pela Universidade de São Paulo
    Título da Dissertação: Tradução, seguida de introdução e notas, do capítulo Arquitetura" dos Cursos de Estética de Hegel
    Orientador: Prof. Dr. Victor Knoll
  • 1999 Graduação em Filosofia pela Universidade de São Paulo

Linha de Pesquisa

Estética

Pesquisa em desenvolvimento

A Faculdade de compor na psicologia empírica alemã
Resumo: Como livrar a disciplina da estética estabelecida por Alexander Gottlieb Baumgartem de sua contaminação com o vocabulário aristotélico-escolástico e atenuar os efeitos dogmáticos de sua propensão a procurar leis de valor universal? É a essa questão que se dedica Joham Gottried em umsérie de textos publicados nas décadas de 1760 e 70. Neles, Herder reconhece o esforço da ciência do sensível baumgarteana em delimitar o alcance de cada uma das faculdades inferiores do conhecimento e a sua descoberta do fingere como faculdade especificamente poética, mas questiona as condições de sua aplicabilidade, já que a ênfase do autor latino em um discurso abstrato e metafísico torna os conceitos – apesar de devidamente fundamentados – demasiado distantes daquilo que gostariam de explicar, a saber, a origem sensorial do conhecimento humano e os problemas práticos decorrentes dela. Ora, no lugar de conceitos abstratos, Herder defende a natureza simbólica da linguagem, a qual é mais conforme a esse deslocamento do problema do conhecimento para sua origem sensorial, embora ela só possa se desenvolver agora dentro de limites de uma antropologia.