Valter Alnis Bezerra

Versão para impressão

curriculum lattes
e-mail: bezerra@usp.br

Site principal:
http://sites.google.com/site/filosofiadacienciausp/

Blog de Fil. e Hist. da Ciência:
http://filosofiadacienciausp.wordpress.com/

Histórico Acadêmico

  • 2005 Pós-Doutorado pela Universidade de São Paulo.
  • 1999 Doutorado em Filosofia pela Universidade de São Paulo.
    Título do trabalho: Estruturas em busca do equilíbrio: O lugar da metametodologia e o papel da coerência no modelo reticulado de racionalidade científica.
    Orientador: Prof. Dr.  Caetano Ernesto Plastino.
  • 1994 Mestrado em Filosofia pela Universidade de São Paulo.
    Título: Problemas e seus problemas: A estrutura e a dinâmica da ciência vistas sob o enfoque de solução de problemas.
    Orientador: Pablo Rubén Mariconda.
  • 1989 Graduação pela Universidade de São Paulo.

Linha de Pesquisa

Teoria do Conhecimento e Filosofia da Ciência

Pesquisa em desenvolvimento

Neurath ou a coesão da nuvem: A epistemologia singular de um positivista iconoclasta e seus desdobramentos
Resumo: O presente projeto de pesquisa visa investigar a epistemologia extremamente original de Otto Neurath (1882-1945) — filósofo da ciência, sociólogo, economista e, por fim, designer gráfico — e alguns de seus desdobramentos. Este positivista lógico desde o primeiro momento — integrante do Círculo de Viena, signatário do manifesto “A concepção científica do mundo” (juntamente com Hahn e Carnap), ferrenho adversário da metafísica (que sempre considerou como desprovida de significado), protagonista do debate com Schlick sobre a constituição da base empírica, defensor da noção de “ciência unificada” — foi, ao mesmo tempo, proponente de algumas teses extremamente originais e que se afastam sobremaneira dos clichês interpretativos usualmente associados ao positivismo lógico. O pensamento de Neurath tem sido redescoberto e reavaliado nos últimos anos, como é bem atestado pela publicação de numerosos volumes a ele dedicados, o que se insere no contexto de um movimento generalizado de reavaliação do Empirismo Lógico como um todo.

A epistemologia neurathiana é, a um só tempo, empirista, fisicalista, coerentista, holista, naturalizada, e possui uma dimensão sociológica e histórica. A imagem de ciência resultante incorpora traços como: o pluralismo metodológico; a reorientação rumo a uma visão não estritamente dedutiva de ciência; e a constituição da "base empírica" da ciência (ligada a uma determinada visão acerca da relação teoria-experiência) de tal forma a possibilitar uma forma peculiar de interdisciplinaridade que seria a "ciência unificada".

Em muitos desses aspectos, o pensamento de Neurath desponta como um dos mais inovadores e criativos dentro do quadro da filosofia da ciência do século XX — ainda mais se visto contra o pano de fundo proporcionado pela recepção do programa geral do empirismo lógico. Inegavelmente, sua epistemologia e sua filosofia da ciência apontam no sentido de uma imagem de ciência muito rica, flexível, nuançada e atenta às vicissitudes da práxis. Além da leitura do autor de uma perspectiva interna, prevê-se ainda a possibilidade de se ler Neurath estabelecendo um diálogo com determinadas linhas e vertentes da epistemologia que vicejariam décadas mais tarde — em particular a epistemologia de Quine e Davidson, e a metateoria estruturalista de Balzer, Moulines, Sneed e outros.

Este projeto de pesquisa harmoniza-se com o Projeto Temático Fapesp-IEA-USP “Gênese e significado da tecnociência: Das relações entre ciência, tecnologia e sociedade”, 2012-2016.