MARTINA RIBEIRO FLORÊNCIO

Curso
Mestrado
Orientador
Tessa Moura Lacerda
Fomento
CNPq
Título da pesquisa
O reconhecimento de si do mestiço brasileiro: um diálogo com F. Fanon e Hegel
Resumo da pesquisa

O projeto pretende examinar a teoria do reconhecimento em Hegel e Fanon, a fim de pensar sobre a inexistência de uma identidade própria da população mestiça brasileira dentro do esquema binário branco/negro. Para tanto, precisamos compreender a ideologia colonial que criou uma falsa ontologia que classifica os negros como um não-ser, estudar as bases das teorias eugenistas e da democracia racial na criação do conceito de nação brasileira nos séculos XIX e XX. Pretende-se mostrar como essas teorias tiveram consequências para a formação subjetiva da população mestiça brasileira e desse modo compreender como esse projeto de subjetivação através do apagamento e negação da ancestralidade negra e do embranquecimento forçado à população parda causou uma ruptura existencial nesses indivíduos.