ARTUR RIBEIRO DE MENDONÇA CARDOSO

Curso
Mestrado
Orientador
Maria Lúcia Mello e Oliveira Cacciola
Título da pesquisa
Hegel e Espinosa: da natureza à liberdade.
Resumo da pesquisa

Pretendo analisar a hipótese de que tanto Espinosa como Hegel, em seus respectivos contextos históricos, respensaram a possibilidade ou impossibilidade do livre arbítrio a partir de uma crítica a concepções teleológicas de natureza. Por “livre arbítrio” entendo a capacidade humana de realizar ações por motivação espontânea, ou seja, negando que todas as ações humanas já estão definidas numa causalidade natural. Espinosa é completamente crítico a qualquer noção de natureza teleológica e nega a possibilidade do livre arbítrio, mostrando como sua concepção de liberdade se difere desta. Por outro lado, Hegel constrói uma noção dialética de teleologia na natureza e critica a inescapável determinação natural das ações humanas, propondo que há uma superação racional dessa determinação.