Curso de difusão: Referência singular e representação espacial

Versão para impressão
Ministrante: Dr. Carlos Mario Márquez Sosa [Pós-doutorando do Depto. de Filosofia | USP]
15 /AGO A 14 /NOV/2019 - 9h às 11h
Cartaz e Programação do evento: 
Contato: 
Local: 
Sala 119
Endereço: 
Conjunto Didático de Filosofia e Ciências Sociais, Av. Prof. Luciano Gualberto, 315 - Cidade Universitária, São Paulo - SP
A literatura atual sobre referência singular está cada vez mais inclinada a uma explicação em termos de índices visuais, arquivos-objeto, arquivos mentais, acquaintance e atenção consciente. Deixando de lado boa parte da evidência que suporta a hipóteses de Treisman e Clark sobre integração de características com base na aplicação de um mapa mestre de localização. Bem como a concepção neo-kantiana de Strawson, Campbell e Evans segundo a qual a representação de aspectos espaciais é crucial para a compreensão de demonstrativos perceptuais. Embora seja verdade que os trabalhos de Treisman e Campbell apontam o papel da atenção consciente em relação à percepção de objetos físicos, é claro que suas explicações fornecem um lugar especial a processos cognitivos de representação espacial. 
A partir das anteriores afirmações, surgem algumas preocupações filosóficas relevantes: Quais são as condições requeridas para pensar e perceber objetos? É suficiente fornecer uma explicação em termo\s de índices visuais, arquivos-objeto e arquivos mentais? É necessário apelar para outras noções como: atenção consciente, atividade ambiental, entendimento sensório-motor, sortales ou mapas cognitivos?