Horário de atendimento durante o recesso escolar: de 03/01 à 16/02/2024 das 14h às 18h.

DARIO CINTRA DE NEGREIROS RIBEIRO

Curso
Doutorado
Título da pesquisa
Escravidão e formação do autoritarismo social brasileiro
Resumo da pesquisa

Ao pensarem o Brasil sob a perspectiva comum da Formação, autores como Caio Prado Jr., Maria Sylvia de Carvalho Franco, Fernando Henrique Cardoso e Roberto Schwarz constituíram, na expressão deste último, uma espécie de obra coletiva, cuja vasta fortuna crítica faria da Formação um “quase-gênero” (RICUPERO, 2008) do pensamento brasileiro. A presente pesquisa pretende revisitar o processo de constituição da vida ideológica nacional (cf. SCHWARZ, 2000) tal como concebido pelos autores da Formação, contrapondo-os à outra tradição intelectual mais recente, mas não menos prolífica: as historiografias da escravidão brasileira e estadunidense surgidas ao final dos anos 1970. É da tensão entre estas duas tradições de pensamento que emerge o objetivo da presente pesquisa: uma vez combinadas e contrapostas, as obras da Formação e as historiografias brasileira e estadunidense da escravidão colocam-nos diante da exigência inescapável de proceder à reconstrução de conceitos, à revisão de proposições e à formulação de novas hipóteses interpretativas sobre o processo de constituição e o modo de funcionamento da vida ideológica nacional.

Orientador
Marilena de Souza Chaui